Lenda da Filha da Iara e do Violeiro da Ponte do Rio Tapera
Luciana do Rocio Mallon escreve sua coluna semanal para Comcafé,  vive em Curitiba,  é formada em Letras pela UFPR , Magistério pelo Colégio São José, Hospitalidade pelo CEP , faz repentes e pesquisa lendas desde os 6 anos de idade. Lançou o livro Lendas Curitibanas em 2013 e também participou das antologias: Concurso Literário Expert, Concurso SESC de Contos de Literatura Infantil, Poetas de Curitiba, As Herdeiras de Lilith, Ossos do Ofício, Túnel do Tempo – Crônicas Curitibanas, Conexão II e Conexão III. Realiza “performances” voluntárias em eventos, trabalhou por mais de dez anos como vendedora no comércio de Curitiba, participou do primeiro conselho de leitores da Gazeta do Povo e é colunista voluntária da revista A Empreendedora. Trouxe a Vesteterapia, que é o estudo esotérico através das roupas, para o Brasil. Facebook: https://web.facebook.com/lucianadorocio https://web.facebook.com/LendasDaTiaLuciana/; Blog: http://lulendasepoesias.blogspot.com.br/; Twitter: https://twitter.com/lucianadorocio; Whats: 41 9965 12567; E-mail: luapoetisa@hotmail.com

Na cidade de Laranjeiras do Sul, existem os fantasmas das Pontes do Rio Tapera, que são: Noiva, Loira das Mãos Tortas e Bruxa. Porém embaixo destas pontes também moram criaturas mágicas que não são tão conhecidas.

Reza a lenda que antes destes fantasmas surgirem, havia a Iara do Rio Tapera, que seduzia homens com seu canto. Então os rapazes pulavam para dentro da água, atrás desta sereia, e desapareciam. Também existia o fantasma do Violeiro, que atraía as mulheres com seu instrumento naquele rio. Assim quando elas resolviam subir na sua canoa sumiam rio afora. Porém quando surgiram os outros fantasmas das pontes, as pessoas se esqueceram da Iara e do Violeiro. Como os dois se sentiram muito sozinhos, resolveram se casar e tiveram uma filha chamada Selene, uma garota com cabelos vermelhos e que anda com os pés quando pisa no solo. O problema é que a pequena sempre foi louca para ter uma bicicleta. Mas a Iara dizia:

– Criaturas mágicas não andam de bicicleta.

Porém a garota passou a aparecer na garupa dos ciclistas do Rio Tapera para depois de alguns minutos desaparecer, misteriosamente, das traseiras das “bikes”.

Numa tarde, um entregador que passou pela ponte sentiu algo pesado na garupa. Porém quando olhou para trás avistou uma menina ruiva. Mesmo assim continuou o caminho porque pensou que fosse alguma criança da região resolvendo pegar carona de surpresa. Porém, dois minutos depois, ele sentiu a parte de trás mais leve e quando virou a cabeça notou que a menina desapareceu do nada.

Reza a lenda que Selene costuma pegar carona nas garupas de vários ciclistas da região que acabam se assustando com a surpresa.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.